Crítica: Os Infratores

O período da Lei Seca nos EUA, quando o consumo de álcool foi proibido em todo o país, durou pouco tempo (de 1920 a 1933), mas foi um trecho da História que rendeu muitas obras baseadas em seus acontecimentos, como O Grande Gatsby, Os Intocáveis e mais recentemente a série Boardwalk Empire.

Os Infratores também se passa durante esse período e, assim como em boa parte das outras obras, é recheado de violência e jogos de poder. O longa já começa com uma criança dando um tiro na cabeça de um porco (já para te deixar esperto), que é um dos irmãos Bondurant, estes quais o filme conta a história.


A saga real dos irmãos remonta um cenário de máfia (mas bem menos “gangsta” do que estamos acostumados) com uma pegada western. O trio Bondurant, formado pelo líder Forrest (Tom Hardy, excelente e ainda corpulento por causa de seu papel como Bane, em Batman, o Cavaleiro das Trevas Ressurge), seu braço direito Howard (Jason Clarke) e o caçula Jack (Shia LaBeouf) são fabricantes de bebidas clandestinos e contrabandistas.

Os integrantes da família Bondurant, depois de algumas histórias inusitadas de sobrevivência, ganharam a fama de imortais na região, o que fazia com que todo mundo respeitasse por demais o trio (claro que o fato de Forrest ser absurdamente badass e só o olhar de Howard também meter medo ajuda e muito!). O caçula Jack é um tanto diferente, menos chucro e ruim de briga, é mais ambicioso e tenta a todo custo provar seu valor perante os irmãos.

A família Bondurant se mostra cada vez mais independente e durona quando todos os outros fabricantes começam sucumbir às exigências de propina das autoridades, menos os irmãos. Isso chama a atenção e tudo começa a piorar quando o sádico Charlie Rakes (Guy Pearce) é enviado de Chicago para tentar reverter a situação. Uma coisa que devemos dizer sobre é Guy Pearce é que quando ele resolve fazer um vilão, o resultado é um ser absurdamente asqueroso, e dessa vez ele se superou (palmas!).

A partir disso começa uma violenta perseguição e disputa de força entre os dois lados, marcada com diálogos ameaçadores e aquelas cenas que você faz uma careta de dor. O filme tem a presença muito discreta do sexo feminino, com a belíssima Maggie (Jessica Chastain, a mais nova fina flor de Hollywood) como uma misteriosa forasteira que oferece serviços de garçonete para os irmãos, e Bertha (Mia Wasikowska), a filha do pastor da qual Jack tem uma queda.

Outra aparição que eu TENHO que comentar é de Gary Oldman no papel de Floyd Banner. Com direito a terno e chapéu de gangster e submetralhadora Thompson na mão, ele dá o ar da graça poucas e curtas vezes, mas marca uma importante presença. 

Os Infratores contou com a direção do australiano John Hillcoat (A Estrada) e roteiro de Nick Cave (A Proposta) e estreia no Brasil dia 21 de setembro.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Jornalista, coautora do livro Cine Belas Artes: Um Olhar Sobre os Cinemas de Rua de São Paulo. Fã de Pink Floyd, ficção científica e mindfucks em geral. Acha que uma vingança bem arquitetada é um belo mote para qualquer filme. Twitter: @crismedias e-mail: cristiani@setimacena.com