Cannes 2012: Festival divulga os primeiros vencedores

O longa ucraniano V Tuname (In the Fog), dirigido por Sergei Loznitsa, recebeu neste sábado (26) o prêmio da Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica (Fipresci) concedido para a melhor produção que integra a seleção oficial da 65ª edição do Festival de Cannes.

O filme, que retrata uma ocupação nazista em territórios soviéticos, tem chances de arrematar mais alguns prêmios amanhã. Mas, de acordo com as bolsas de apostas, terá de se contentar com este importante reconhecimento da crítica mesmo.

Alguns outros prêmios foram divulgados: o longa francês Rengaine, de Rachid Djaidani, foi eleito o melhor exibido na Quinzena dos Realizadores. Já o júri da mostra competitiva Um Certo Olhar, presidido pelo ator Tim Roth (Pulp Fiction), entregou o troféu à produção mexicana Despues de Lucia, do cinesta Michel Franco.

Não custa lembrar que a tão aguardada Palma de Ouro e os demais prêmios do festival francês serão divulgados amanhã (27) conforme a escolha do júri presidido pelo cineasta italiano Nanni Moretti. Tudo pode acontecer e, nessa hora, os aplausos e gritinhos de público e crítica não valem muito. E, sim, a decisão do júri.

Mas, como somos teimosos, listamos as produções favoritas a serem agraciadas com algum troféu amanhã. Veja quais são elas abaixo.

De acordo com a repercussão dos filmes apresentados até o momento, o drama Amour, de Michael Haneke, é o principal favorito para conquistar a Palma de Ouro ou, pelo menos, algum prêmio de destaque, como o de interpretação masculina ou feminina. Com um singelo título, Amour nada tem a ver com aquelas tramas adocicadas que costumamos ver em comédias românticas por ai, mas sim com uma dolorosa história do casal de idosos Anne (Emmanuele Riva) e Georges (Jean-Louis Trintignant).

Após sofrer um derrame, Anne passa a ter uma vida vegetativa, precisando da ajuda do seu dedicado marido para realizar tarefas essenciais, como comer, tomar banho, trocar de roupa… Uma rotina ingrata que atesta a crueldade da doença e a proximidade do fim da vida. De fato, parece ser um ótimo filme. Mas, não podemos esquecer que Haneke conquistou a Palma de Ouro em 2009 pelo espetacular A Fita Branca. Será que o festival francês terá coragem de repetir a dose neste ano?

Outro longa bem cotado para a Palma de Ouro é De Rouille et d’Os (Rust and Bone), de Jacques Audiard, vencedor do Grande Prêmio do Júri em 2009 por O Profeta. Leia mais sobre ele aqui.

Contando com uma trama forte e envolvente, a produção estrelada pela talentosa Marion Cotillard, vencedora do Oscar de Melhor Atriz por Piaf em 2008, e o ainda desconhecido Matthias Schoenaerts no elenco, pode render a Audiard a tão sonhada Palma de Ouro.

O cinema romeno, nos últimos tempos, não costuma passar despercebido pelo Festival de Cannes. Basta lembrar que em 2005 o longa A Morte do Senhor Lazarescu levou o troféu Um Certo Olhar; no ano seguinte, o filme A Leste de Bucareste faturou a Caméra d’Or; em 2007, o cineasta Cristian Mungiu conquistou nada mais nada menos que a Palma de Ouro com o sensacional  4 meses, 3 semanas e 2 dias; e em 2009, o ótimo drama Polícia, Adjetivo, arrematou o Um Certo Ragard e o Fipresci.

E, neste ano, a Romênia vem novamente representada por Mungiu, que viu o seu Beyond the Hills, ser muito aplaudido durante as exibições e receber elogios calorosos da crítica especializada. O filme conta a história das amigas Alina e Voichita que vivem, praticamente, isoladas num monastério. Este clima de paz é interrompido quando o padre local acredita que uma delas está possuída pelo demônio. Parece, no mínimo, promissor, vai…

O dinamarquês Thomas Vinterberg, após o raso e superestimado Submarino (2010), também foi muito aplaudido no Festival de Cannes 2012 com a sua nova produção Jagten (The Hunt). O filme conta a história de Lucas, um divorciado e simpático professor de uma escola infantil que tem a vida virada do avesso quando uma de suas alunas e filha de seu melhor amigo diz que foi molestada por ele.

Logo de cara, a plateia fica sabendo que esta acusação e mentirosa. Mas cabe a Lucas provar que é inocente, ao mesmo tempo em que enfrenta agressões físicas e verbais de todos à sua volta. Vinterberg já recebeu O Prêmio do Júri de Cannes em 1998 por Festa de Família e não deve sair desta nova edição do festival francês de mãos abanando.

Bem, esses são apenas alguns exemplos dos filmes que podem ser lembrados amanhã. A decisão ficará mesmo nas mãos da trupe comandada por Moretti. Que pode, aliás, entregar os principais prêmios para uma produção americana, como o elogiado Os Infratores, de John Hillcoat, estrelado por um elenco talentoso, liderado por Tom Hardy, Shia Labeouf e Jessíca Chastain; ou ao longa Mud, de Jeff Nichols, que acaba de encerrar a Seleção Oficial de 2012 com muitos aplausos.

Ah, já ia me esquecendo… Na Estrada, de Walter Salles, também pode ser agraciado com algum prêmio. E, se isto realmente acontecer, podem ter certeza que nós aqui do Sétima Cena não ficaríamos nenhum pouquinho chateados.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Jornalista, fã incondicional de Nick Hornby e coautor do livro inédito Cine Belas Artes: Um Olhar Sobre os Cinemas de Rua de São Paulo. Ainda não viu nada melhor que Asas do Desejo, de Wim Wenders... Mas Beleza Americana chegou perto. e-mail: cristiano@setimacena.com