Trilhas sonoras sob medida

Desde sempre, o cinema e a música são inseparáveis. Até mesmo quando o mundo cinematográfico dava seus primeiros passos, no cinema mudo, as sessões eram acompanhadas por orquestras ou bandas ao vivo durante as exibições. Salvo aquelas que (propositalmente) não possuem nenhum tipo de trilha, como Os Pássaros (Alfred Hitchcock, 1963) entre muitos outras (grande parte europeias), a maioria das películas possui músicas que incorporam a trama e nos fazem lembrar de cenas específicas ao ouvir apenas alguns acordes.

Uma tendência que sempre existiu, mas ultimamente ganha força, é o casamento de bandas ou artistas com a produção de um filme para a criação de trilhas feitas sob encomenda para ele, diferente do conceito majoritário de utilizar músicas que já existem, coisa que Quentin Tarantino faz magistralmente com seu vasto conhecimento musical.

Mas, voltando ao assunto, um exemplo de como essa prática não é recente é o filme Zabriskie Point (Michelangelo Antonioni, 1970), no qual algumas de suas faixas foram produzidas unicamente para o filme, como a Heart Beat, Pig Meat do The Pink Floyd (é, foi antes deles abolirem o “The”) entre outros artistas.

Outra situação é a produção de toda a trilha sonora por apenas um artista ou banda, como do filme More (Barbet Schroeder, 1969), também pela banda Pink Floyd (já sem o “The”), ou Labirinto (Jim Henson, 1986), pelo cantor David Bowie. Outro exemplo que deve ser citado é a trilha sonora do filme Na Natureza Selvagem (Sean Penn, 2007) que foi composta e executada por Eddie Vedder, vocalista da banda Pearl Jam.

O resultado desse tipo de trabalho é, na maioria das vezes, incrível. Com músicas que possuem a alma da história contada, essas composições se moldam ao filme, já que para compor, os artistas, muitas vezes, têm que assistir a algumas cenas antes da finalização da película.

Veja mais alguns filmes que possuem trilhas sonoras feitas da mesma maneira.

DivulgaçãoDançando no Escuro (Dancer in The Dark, 2000)

Direção: Lars von Trier

Trilha: Além de atuar no filme, Björk criou toda trilha de Dançando no Escuro, que posteriormente lançou no CD SelmaSongs.

 

 

DivulgaçãoO Rei Leão (The Lion King, 1994)

Direção: Roger Allers e Rob Minkoff

Trilha: Como quase todos os desenhos da época, a trilha sonora é 100% original e, nesse caso, com trabalho excelente de Hans Zimmer. Mas, a música que rendeu o Oscar e o Globo de Ouro foi a faixa Can you feel the love tonight, por Elton John.

 

DivulgaçãoA Rede Social (The Social Network, 2010)

Direção: David Fincher

Trilha: A trilha do filme possui muitos artistas, como White Stripes e Bob Marley. Porém, a composição feita por Trent Reznor (Nine Inch Nails) é tão boa que levou o Globo de Ouro de melhor trilha sonora para casa em 2011.

 


Flash Gordon (Flash Gordon, 1980)

Direção: Mike Hodges

Trilha: Toda a trilha do filme foi composta e executada por nada menos que a banda Queen. Até para quem não é muito fã do filme, as músicas são excelentes pedidas.

 


Divulgação
Sangue Negro (There Will Be Blood, 2007)

Direção: Paul Thomas Anderson

Trilha: As músicas desse filme foram compostas por Jonny Greenwood, guitarristas do Radiohead. Ele foi premiado com o Leão de Prata do Festival de Berlim.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Jornalista, coautora do livro Cine Belas Artes: Um Olhar Sobre os Cinemas de Rua de São Paulo. Fã de Pink Floyd, ficção científica e mindfucks em geral. Acha que uma vingança bem arquitetada é um belo mote para qualquer filme. Twitter: @crismedias e-mail: cristiani@setimacena.com