Oscar 2013: Alan Arkin

O tempo em cena não é exatamente um problema para Alan Arkin. Bastam apenas alguns minutos na tela para que ele roube todas as atenções para si. Quem assistiu a, pelo menos, um dos mais de 100 longas estrelados por este grande ator sabe bem do que estou falando.

Nascido no tradicional bairro do Brooklin, em Nova York, desde cedo Arkin se interessou pelas artes. E com apenas 10 anos já frequentava aulas de música e de teatro. Sua estreia no cinema em 1966, com o longa Os Russos Estão Chegando! Os Russos Estão Chegando!, não podia ser melhor, pois logo de cara ele foi indicado ao Oscar de Melhor Ator e faturou o Globo de Ouro de protagonista de Comédia ou Musical.

Com postura firme e uma articulação perfeita, o ator sempre parece ser o mais inteligente em cena. Além disso, seu humor afiado é um eficiente alívio cômico nas produções que costuma atuar. Seja em obras recheadas de astros, como o suspense O Sucesso a Qualquer Preço, no qual dividiu a tela com Al Pacino, Jack Lemmon e Kevin Spacey; ou em pequenos filmes independentes como Treze Visões (2001).

O cinema brasileiro também teve a chance de contar com a excelente contribuição de Arkin. Para quem não se lembra, era ele o embaixador americano Charles Burke Elbrick sequestrado pelos personagens de Pedro Cardoso e Fernanda Torres no longa O que é Isso, Companheiro?, de Bruno Barreto. A produção foi um verdadeiro sucesso de crítica e público e chegou inclusive a ser indicada ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em1998.

Mas a maior honraria da sua carreira veio com divertidíssima interpretação do avô boa praça e maconheiro no ótimo Pequena Miss Sunshine, pelo qual faturou o Oscar e Bafta de Melhor Ator Coadjuvante em 2007. Depois disso, ele ainda brilhou como o chefe de Owen Wilson no cativante Marley e Eu, e fez uma eficiente parceria com Meryl Streep no suspense político O Suspeito.

Em 2012, Alan Arkin nos brindou com outra atuação surpreendente em Argo, de Ben Affleck, no qual dispara as frases mais ácidas e brilhantes do ano. Resultado: mais elogios rasgadas da crítica e nova indicação ao Oscar de Coadjuvante.

A concorrência para o prêmio da Academia será dura para o veterano ator, já que a categoria concentra quatro oponentes oscarizados: Tommy Lee Jones, Christoph Waltz, Philip Seymour Hoffman e ninguém mais ninguém menos que o grande Robert De Niro. Mas o grande momento de Argo nas premiações americanas talvez contribua para que Arkin conquiste a segunda estatueta dourada.

Atualmente com 78 anos, Alan Arkin ainda não pensa em aposentadoria. Inclusive, o seu próximo longa, a comédia Amigos Inseparáveis – que também traz Al Pacino e Christopher Walken no elenco – estreia nos cinemas brasileiros em 29 de março. Alguém duvida que vem outro show de interpretação por aí?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Jornalista, fã incondicional de Nick Hornby e coautor do livro inédito Cine Belas Artes: Um Olhar Sobre os Cinemas de Rua de São Paulo. Ainda não viu nada melhor que Asas do Desejo, de Wim Wenders... Mas Beleza Americana chegou perto. e-mail: cristiano@setimacena.com