Oscar 2013: Hugh Jackman

Como Wolverine, em X-Men

Hugh Jackman é, hoje, um dos atores mais adorados de Hollywood. Também, pudera, além de galã, é bom ator e muito versátil. É capaz de tirar o fôlego da mulherada sem ganhar desafetos da ala masculina, já que é o homem por trás de um dos heróis mais queridos das adaptações de quadrinhos, Wolverine, de X-Men.

Nascido em Sydney, na Austrália, Jackman começou sua carreira no teatro, atuando em musicais como A Bela e a Fera e a adaptação de Crepúsculo dos Deuses em seu país. Posteriormente, começou a atuar em séries de TV, primeiro em um episódio de Law of the Land, em 1994, e depois protagonizando Correlli, onde conheceu sua esposa, Deborra-Lee Furness.

Em 1996, atuou ao lado de Guy Pearce no seriado Snowy River: The McGregor Saga. Jackman participou de apenas 5 episódios, mas a série durou quatro temporadas, com Guy Pearce participando de seus 65 episódios. Nos anos seguintes, Jackman estrelou filmes de pouca expressão, como Paperback Hero e Erskineville Kings, até que, em 2000, assumiu o personagem Wolverine, em X-Men: O Filme, que o levou ao estrelato.

Com Christian Bale em O Grande Truque

O filme foi um sucesso de bilheteria e é, até hoje, considerado um dos grandes responsáveis pela moda das adaptações de histórias em quadrinhos para as telonas. E mesmo sendo praticamente desconhecido, o carisma e a importância de Wolverine para a história fizeram com que o ator fosse o grande destaque da produção.

No ano seguinte, conquistaria também as mulheres ao atuar em duas comédias românticas, Alguém Como Você, onde contracena com Ashley Judd, e Kate & Leopold, ao lado da estrela Meg Ryan. Mas também agradou o lado masculino ao fazer o longa de ação A Senha: Swordfish, ao lado de John Travolta e da colega de X-Men Halle Berry.

Em 2002, já como um astro, Jackman decidiu dedicar parte da sua carreira aos palcos e se preparou para uma apresentação especial do musical Carousel, no Carnegie Hall, em Nova York. Nos anos seguintes, dividiria sua carreira entre o cinema e os palcos da Broadway, onde viveu o personagem Peter Allen no musical The Boy from Oz, que lhe rendeu um Tony Award, coestrelou com Daniel Craig A Steady Rain, e ganhou seu próprio musical, Hugh Jackman, Back on Broadway.

Com Daniel Craig, na Broadway

Voltou a viver o herói Wolverine em X-Men 2, em 2003, e interpretou o caçador de vampiros Van Helsing, no ano seguinte. E depois de um ano onde não apareceu nenhuma vez no cinema, Jackman resolveu que 2006 seria seu ano de maior trabalho. Fez dublagens para o game de X-Men, para as animações Por Água Abaixo e Happy Feet: O Pinguim (que também ganhou um game dublado por Jackman), além de trabalhar com Woody Allen, Darren Aronofsky e Christopher Nolan, nos longas Scoop: O Grande Furo, Fonte da Vida e O Grande Truque, respectivamente.

Nos anos seguintes, voltou a viver o mutante Wolverine em um spin-off próprio do personagem, X-Men Origens: Wolverine, que não fez sucesso com o público e foi detonado pela crítica, e atuou ao lado de Nicole Kidman em Austrália, de Baz Luhrmann, entre outras produções de menor destaque.

Austrália

Até que chegamos a 2012, ano em que o ator conquista sua primeira indicação ao Oscar pelo musical Os Miseráveis, dirigido por Tom Hooper. No filme, Jackman interpreta Jean Valjean, um homem que é condenado por roubar um pão na França do século XIX e que é posto em liberdade depois de passar 19 anos na prisão. Ajudado por um padre, Valjean recupera sua dignidade e se torna dono de uma fábrica e prefeito da cidade onde vive.

Na história, Valjean acaba adotando e criando a filha da prostituta Fantine, vivida por Anne Hathaway. A atuação de Jackman vem sendo elogiada, principalmente, por conta de suas mudanças físicas para interpretar o faminto Valjean, além do fato de cantar no próprio set todas as suas músicas no filme. O que acontece com todo o elenco, diga-se de passagem.

No Oscar 2013, Jackman deve apenas ser coadjuvante numa noite em que Daniel Day-Lewis deve sair com a estatueta de Melhor Ator, mas ao menos poderá comemorar ao lado da companheira de cena Anne Hathaway, que deve faturar o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por sua Fantine.

Os Miseráveis

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Jornalista e crítico de cinema. Coautor do livrorreportagem Cine Belas Artes: Um Olhar Sobre os Cinemas de Rua de São Paulo. Acha O Poderoso Chefão o melhor filme do mundo, mas torce todos os dias para assistir a algum que o supere. Ainda não encontrou, mas continua buscando. E-mail: carlos@setimacena.com // Letterboxd: @CarlosCarvalho